Infraestrutura de TI

Aumento de produtividade e possibilidades de negócios? Mobilidade corporativa é a resposta

Escrito por Telium

A dinâmica das organizações modernas faz da mobilidade corporativa verdadeiro mantra aos CEOs/CIOs que desejam ver suas empresas com as portas abertas no médio prazo. Impulsionada pela computação em nuvem, tecnologias modernas de transmissão de dados (como 4G e 5G), disseminação do uso da internet por meio de dispositivos móveis e, sobretudo, pela virtualização de aplicações, a mobilidade passou a ser a linha tênue que divide as empresas competitivas, das “pesadas” e, portanto, estagnadas.

Se sua companhia ainda não tem a flexibilidade necessária para inovar e não consegue fazer da TI um ponto nevrálgico para redução de custos, este artigo foi feito para você. Descubra como a mobilidade corporativa pode ser a resposta para fazer sua empresa produzir mais, com maior qualidade e menor custo.

O que é mobilidade corporativa?

Em uma era em que 95% das companhias já migraram suas aplicações críticas para a nuvem, mobilidade corporativa significa prover sua organização de agilidade, flexibilidade e dinamismo diante da necessidade cada vez mais intensa de dar respostas rápidas aos seus stakeholders.

Trata-se de libertá-la das amarras dos desktops, permitindo que seus ativos informacionais estejam disponíveis em qualquer hora e em qualquer lugar, a partir de um simples acesso a um dispositivo móvel.

Mobilidade empresarial é muito mais do que tecnologia; é o redimensionamento da forma com que pessoas, recursos e tecnologias interagem dentro e fora do ambiente físico da organização.

Uma empresa ágil é menos burocrática na tomada de decisões. Além disso, consegue trabalhar seus dados com ferramentas modernas de Big Data, compreendendo mais rapidamente os anseios de seus consumidores. É, assim, uma organização que consegue prever tendências e se adaptar às mudanças do mercado com celeridade, mantendo-se sempre um passo adiante da concorrência.

Se você questionar um CEO sobre o que é mobilidade corporativa, ele certamente dirá que é ter acesso aos dados estratégicos da organização a distância e com segurança; se fizermos a mesma pergunta a um executivo de vendas, ele provavelmente dirá que é visualizar informações de vendas (como catálogos ou release de produtos) durante a visita a um cliente.

Por outro lado, um gestor de projetos diria que mobilidade empresarial é gerenciar o andamento de projetos mesmo longe da organização. Mobilidade é tudo isso. E muito mais.

Como a mobilidade corporativa pode impactar sua empresa?

BYOD

A virtualização das aplicações de sua empresa é o passo anterior à implementação do BYOD (Bring Your Own Device), uma estratégia que já se consolidou no universo corporativo como turning point na redução de custos com TI.

Chamado também de “consumerização da TI”, esse fenômeno, de acordo com pesquisa Ibope Conecta, já faz parte da realidade de 54% das organizações nacionais. A mesma pesquisa ainda aponta que, entre os gestores que permitem essa prática, 44% perceberam claro aumento de produtividade com os funcionários utilizando seus próprios dispositivos.

Destacam-se também os possíveis impactos financeiros que o BYOD traz com a redução de compras/renovação do parque de equipamentos da empresa, além da minimização dos gastos com licenças, manutenção de PCs e investimentos em servidores físicos.

Trabalho remoto

Um levantamento da SAP Consultoria, feito em 2016, revelou que 68% das organizações já adotam home office, em maior ou menor grau. Com o trabalho remoto, o gerenciamento da performance dos colaboradores passa a ser apoiado estritamente nos resultados, fato que, segundo a mesma pesquisa, convergiu em aumento de produtividade (54%) e ampliação do engajamento/satisfação das equipes (85%) nas empresas entrevistadas.

Além da melhora na qualidade de vida do colaborador (que culmina em aumento da produção), o trabalho a distância resulta em redução de custos com energia, materiais de escritório, auxílio-transporte, manutenção e compra de PCs, entre outros gastos. 

Ganho de Inteligência de Vendas às suas equipes comerciais

Quando seus representantes comerciais podem se dar ao luxo de deixar de lado os desconfortáveis e pouco interativos catálogos em papel para terem acesso a todos os dados dos produtos da empresa, em tempo real e a um só clique, as visitas aos clientes se tornam mais produtivas e com maior possibilidade de conversão.

Com apenas alguns cliques em um tablet, o vendedor consegue verificar se o cliente possui alguma restrição que impossibilite a venda, visualizar releases e imagens diversas dos produtos, além de fechar a venda ali mesmo, de forma eletrônica, com transmissão de dados em tempo real aos departamentos interessados (Financeiro, Compras e Estoque). Tudo isso é mobilidade corporativa.

Qual a importância de ter políticas de segurança da informação na implementação de soluções em mobilidade corporativa?

Automatizar processos, permitir o trabalho remoto/BYOD, fazer videoconferências, oferecer treinamento a distância aos colaboradores, vender com maior inteligência operacional: como você já viu, se sua empresa ainda é “analógica”, fica difícil competir com seus concorrentes mais modernos, que adotam tais práticas de mobilidade.

No entanto, para que essa estratégia seja um sucesso, é preciso ter cuidados com a segurança da informação. Uma companhia negligente nessa seara costuma enfrentar percalços como:

  • divulgação acidental de dados empresariais;

  • exclusão de arquivos da empresa pelo celular dos funcionários;

  • roubo de informações a partir de acesso aos muitos dispositivos móveis que acessam sua nuvem etc.

Quais os 5 pilares da mobilidade corporativa?

Proteção de dados com efetividade é resultado de um conjunto de ações, fincados nos 5 pilares descritos a seguir:

1. O usuário e o acesso aos aplicativos

Usuários, aplicações e gadgets que se conectem aos ativos da organização devem ser submetidos a barreiras de identificação e validação de acesso.

2. Proteção de dados e aplicativos

Se os aplicativos e os dados da empresa estão em Cloud Computing, os recursos de proteção em nuvem devem receber atenção especial dos gestores de TI.

3. Gerenciamento de dispositivos

A empresa não pode abrir mão de ter uma política sólida de gerenciamento de dispositivos. Em outras palavras: o que pode ser baixado, deveres do colaborador quanto ao uso responsável do e-mail corporativo, atualizações etc.

4. Proteção contra ameaças

A negligência na implementação de ações de segurança de dados nos gadgets fez desses dispositivos o alvo preferido aos cibercriminosos. A empresa deve ter uma estratégia de proteção contra ataques DDOs, navegação desprotegida, phishing, engenharia social etc.

5. Proteção do compartilhamento de arquivos

As organizações devem prover o controle administrativo absoluto sobre o acesso/compartilhamento de arquivos por todos os dispositivos inventariados para terem interação com a nuvem corporativa.

Quais são as outras recomendações importantes para implementação da mobilidade corporativa?

Algumas ações estratégicas podem minimizar os riscos à segurança da informação. Algumas delas:

  • formulação de uma “Política de Consumerização”;

  • lançamento de campanha de endomarketing, para divulgação das políticas de uso de gadgets;

  • criação de um inventário de dispositivos;

  • análise da forma que a empresa permitirá o uso desses gadgets para fins profissionais;

  • implementação de um software de gerenciamento de dispositivos móveis;

  • fixação de relação de aplicativos confiáveis, bem como de aplicações de segurança de uso obrigatório;

  • programação de backups automáticos na nuvem;

  • regras e métodos de auditorias periódicas;

  • fixação dos sistemas operacionais permitidos.

Agora que você já tem um norte para seguir na consolidação da mobilidade corporativa em sua empresa, siga-nos nas redes sociais para continuar por dentro das principais novidades sobre governança e infraestrutura de TI! Estamos no Facebook e LinkedIn!

 

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This