Gestão de processos

Cibersegurança: tendências da tecnologia e contenção de ataques para 2018

Escrito por Telium

No que você acha que deve investir para garantir a cibersegurança da sua empresa em 2018? Um bom gerente de TI não precisa ser vidente para responder a essa pergunta.

Pesquisar, entender e se antecipar às ameaças do futuro são a melhor forma de garantir a segurança no presente. Se você quer saber mais sobre como se preparar para lidar com os novos ataques que surgem a cada dia, este artigo é para você! Vamos começar?

Novas práticas de cibersegurança para novas ameaças

Toda a discussão sobre cibersegurança que move as tendências para o próximo ano gira em torno de um novo período para empresas de diversos setores.

O mercado como um todo está passando por um momento de transição importante, quando investir em transformação digital e implementação de tecnologia em processos operacionais se torna uma necessidade de sobrevivência para o negócio.

A ampliação de soluções tecnológicas também significa o aumento de pontos vulneráveis a ameaças externas que podem ser explorados para comprometer, roubar ou sequestrar os dados de uma empresa.

O grande exemplo recente foi o ransomware WannaCry, que atingiu o mundo inteiro criptografando dados sensíveis e exigindo um resgate em dinheiro de diversas companhias privadas e organizações do setor público.

Para combater essa ameaça crescente, a função de um gerente de TI deve ser sempre se posicionar um passo à frente dos cibercriminosos. E esse objetivo só é possível se mantendo informado sobre tendências de segurança, conhecendo bem o seu sistema e buscando parcerias para lidar com os riscos. 

Tendências tecnológicas de contenção de ataques para 2018

Ou seja, estar preparado para o futuro é o caminho mais seguro para garantir a confiabilidade do seu sistema e, por consequência, da sua empresa. Para te ajudar a entender o que vem pela frente e buscar informações que te possibilitem mergulhar mais a fundo no assunto, preparamos uma lista de quais serão as tendências de cibersegurança para 2018:

A segurança de Cloud Computing se torna uma prioridade

A Cloud Computing já se consolidou como a principal solução de produtividade, otimização e redução de custos para empresas que buscam mais competitividade no mercado.

Mas, exatamente por se tornar uma escolha popular, a nuvem é o alvo mais comum para ameaças externas neste e no próximo ano. Como resposta ao problema, o investimento e aprimoramento da cibersegurança deve se focar mais ainda em proteger sistemas que utilizam algum serviço do tipo.

Principalmente, o uso da nuvem será uma ferramenta importante para evitar os ransomwares, já que a proteção de um bom provedor de soluções cloud cria uma barreira extra para os criminosos — que sempre preferem otimizar seu esforço atacando sistemas mais vulneráveis.

A Shadow IT vira uma preocupação real

A mobilidade em 2017 ganhou de vez um papel central em práticas e processos empresarias. Tanto através do trabalho remoto quanto do modelo BYOD, a solução vem se mostrando mais um transformação para aumentar a produtividade com o mínimo de estrutura física.

Mas novas práticas trazem novas preocupações para gerentes de TI e isso deve se acentuar no próximo ano — você provavelmente já está lidando com o problema nesse momento.

A Shadow IT é uma dor de cabeça para os profissionais da área. Esse nome indica qualquer interação entre softwares não monitorados e regulamentados pela TI e o sistema da empresa. Esse problema é ainda maior quando levamos em conta o uso de smartphones pessoais para o trabalho.

Como é impossível controlar a comunicação entre tantos aplicativos e identificá-los, 2018 deve presenciar um aumento considerável em práticas de monitoramento e bloqueio inteligente de acesso para evitar que um desses softwares seja a porta de entrada para um risco maior. 

O foco da segurança se equilibra mais entre prevenção e contenção

Falando em monitoramento, a sofisticação de ameaças como o WannaCry está aos poucos mudando a forma como gerentes de TI enxergam a cibersegurança dentro das empresas.

Essa tendência já se mostra evidente em 2017 e será ainda mais comum em 2018. Em negócios cada vez mais digitais, a blindagem completa do sistema está se tornando uma utopia em um mundo onde ameaças novas surgem todos os dias.

Para continuar garantindo a segurança sob essas condições, profissionais buscam criar estratégias mais equilibradas entre prevenção e resposta. Os planos de contingência e continuidade serão melhor trabalhados e o treinamento para emergências mais frequente.

O ideal é encontrar uma harmonia entre processos de monitoramento, identificação, interação e recuperação, principalmente buscando a ajuda de parcerias especializadas e integrando a segurança ao DevOps.

O IDaaS se torna viável para projetos e empresas menores

Você já ouviu falar em Identificação como Serviço? O IDaaS até este ano era uma solução de nicho para empresas grandes e complexas, com poucas opções de mercado e contratos caros.

Isso deve mudar já em 2018. Empresas que trabalham com gerenciamento de infraestrutura de autenticação começam a oferecer seus serviços para empresas menores, que estão vendo sua demanda por controle de acesso aumentar exponencialmente com o uso de plataformas mobile em sua operação.

Esta será mais uma oportunidade para que gerentes de TI enxuguem processos e garantam confiabilidade na interação remota com o sistema, sem precisar aumentar sua equipe ou a carga de trabalho.

A IoT se torna o centro de estratégias de cibersegurança

Se a Internet das Coisas é uma tendência para o mundo corporativo, a segurança desse tipo de solução tecnológica também deve estar no radar do profissional bem informado.

Estudos já apontam que um quarto dos ataques a empresas envolverá a IoT já em 2020 e o quanto antes o a sua empresa estiver preparada, mais fácil será lidar com a questão nos próximos anos.

E a melhor forma de fazer isso é identificando qual é o equilíbrio entre praticidade e segurança ideal para lidar com o seu sistema. Os wearables serão grandes ferramentas de produtividade, mas eles só podem ser implementados seguindo um limite seguro de controle e novas formas de monitoramento centralizado para garantir que uma solução não se torne um problema.

Parcerias tecnológicas como solução de segurança

Agora que você conhece todas as tendências para 2018, é hora de se preparar. Afinal, informação só é útil quando utilizada. Comece estudando mais a fundo os tópicos que levantamos e veja o que você pode fazer para melhorar o desempenho de cibersegurança da sua empresa.

Mas, principalmente, procure ajuda. Empresas especializadas em soluções tecnológicas para um mundo conectado não são apenas um investimento em estrutura e confiabilidade, mas um braço a mais para criar estratégias seguras e lidar com a operação da sua empresa com mais eficiência.

Se é isso que você precisa agora para colocar sua empresa já em 2018,  venha conhecer os planos da Tellium para ambientes corporativos! Com certeza você vai encontrar a melhor opção para garantir segurança e produtividade em seu sistema.

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This