Gestão de pessoas

Como reduzir custos de contratação de pessoas em TI ?

Como reduzir custos de contratação de pessoas em ti
Escrito por Telium

Profissionais de TI são considerados estratégicos para uma organização. O motivo? Hoje existe uma tendência de união entre negócio e tecnologia, entre gestão estratégica e governança de TI. Dessa forma, é importante acertar nas escolhas quando o assunto é contratação de pessoas nessa área — nem por isso o processo precisa sair caro para a empresa. É possível reduzir custos e agregar profissionais de alto valor ao staff.

Por ser um vetor de produtividade e de eficiência para todos os times da empresa, a TI precisa contar com pessoas qualificadas, atentas aos movimentos do mercado, conhecedoras da realidade do negócio e dos detalhes de todos os processos que o suportam.

Não é fácil concentrar todas essas aptidões em um só profissional, mas todas essas habilidades podem ser internalizadas se as equipes forem diversificadas, multidisciplinares, com especialistas com focos e experiências diferentes. O importante é que as características de cada um sejam trabalhadas de forma sinérgica, para que possam trazer excelentes resultados para a TI e para a empresa como um todo.

Otimizar a busca e seleção de analistas e gestores de TI, com vistas à racionalização do tempo e do custo desse processo, depende de alguns fatores e iniciativas. Acompanhe as dicas ao longo deste post!

Como reduzir custos na contratação de profissionais de TI?

Quando se escolhe um profissional adequado às necessidades da empresa, o ganho é imediato. Ao longo de sua atuação, ele retornará conhecimentos e entregas que farão a diferença para a trajetória empresarial. Além disso, o turnover se torna menor e a retenção de talentos começa a se consolidar e a aprimorar as competências organizacionais.

Mas é possível começar a racionalização de custos antes mesmo de incorporar novos membros aos times. Para isso, é fundamental um bom planejamento do processo de recrutamento e de todas as etapas envolvidas na seleção.

Outras iniciativas podem ser tomadas para garantir que a contratação de profissionais de TI atinja o menor custo possível:

1. Conheça o negócio a fundo

O primeiro passo para uma boa gestão de pessoas no que se refere à contratação de profissionais é o profundo conhecimento das necessidades e da realidade da empresa.

Nesse sentido, é importante ter uma fotografia empresarial, que demonstre pontos prioritários (aqueles que não podem ficar descobertos), gaps de conhecimento ou de pessoal, necessidade de ampliação de quadro de funcionários e expertises necessárias.

Em relação à área de TI, é útil ter um mapa que indique as especialidades indispensáveis e as desejáveis para que o negócio tenha continuidade e prospere. Então é preciso listar os domínios de conhecimento que atendem à cadeia de valor da empresa: desenvolvedor web, analista de segurança da informação, configurador e instalador de infraestrutura, cientista de dados, analista de requisitos, desenvolvedor de aplicações mobile, integrador de API, gerente de projetos, especialista em métodos ágeis, arquiteto de TI.

Com isso, será possível ter uma visualização de qual a carreira de TI se pretende consolidar na empresa, considerando todas as disciplinas que garantem a melhor governança e operacionalização dos serviços tecnológicos que sustentam o negócio.

2. Explore as tecnologias de comunicação

Hoje a internet se tornou um espaço colaborativo sem fronteiras, sem preconceitos ou seletividade quanto à capacidade de participação e oferta de informações.

Para o mercado de trabalho, isso pode ser bem aproveitado e ferramentas como redes sociais e redes profissionais oferecem contatos, referências, vida acadêmica e currículos completos de candidatos.

Boa parte dessas plataformas permite a divulgação de vagas gratuitamente ou a custos bastante acessíveis.

Outro recurso tecnológico é a aplicação de testes e provas online, com o uso de ferramentas pagas ou gratuitas que apresentam as questões formuladas pela empresa ou retiradas de bancos de dados, controlam o acesso do candidato e o tempo disponível para cada resposta, emitindo relatórios ao final da atividade.

Entrevistas também podem ser realizadas por meio de tecnologias como chats, com os usuais Google Hangout ou Skype.

Essas formas alternativas não concluem o processo seletivo, mas agilizam e barateiam fases iniciais, como triagem para eliminação de interessados não aderentes às vagas disponíveis e identificação dos que terão maiores chances de completar o quadro ocioso e trazer melhores respostas para as necessidades da empresa.

3. Mantenha um banco de talentos

Nunca se sabe quando um profissional abandonará a empresa ou quando surgirá uma nova necessidade ou ampliação de demanda. Essas situações exigirão uma rápida complementação do quadro de profissionais e, em se tratando de TI, desfalques e interrupções de entregas podem impactar a esteira produtiva da empresa de forma importante.

Nesses casos, vencer as etapas de um processo de contratação não pode levar muito tempo, e por isso é produtivo já ter potenciais candidatos para preenchimento das oportunidades que acabaram de surgir.

Nesse contexto, vale a pena manter um banco de dados com profissionais aptos a assumirem vagas na empresa. Isso agiliza a seleção e permite que a alocação do novo recurso pessoal ocorra sem maiores desgastes, prazos e custos.

Uma busca em redes sociais profissionais, como o LinkedIn, pode trazer currículos que se alinham com a realidade da empresa. Um contato prévio por e-mail pode confirmar algumas informações e indicar que aquele profissional deverá constar do banco de talentos para eventualidades.

Indicações de funcionários que já atuam na organização também são interessantes e podem contribuir para a composição de um quadro de reservas.

O caminho da terceirização e do outsourcing de TI

Até algumas décadas passadas, ter uma área de TI robusta dependia de times próprios, qualificados e constantemente atualizados. Além disso, era preciso investir em parques tecnológicos com equipamentos de alta performance. Tudo isso representava custos expressivos e inviabilizava o crescimento de pequenos e médios negócios.

Hoje a realidade mudou. A TI está acessível por meio da terceirização de pessoal, do outsourcing de soluções e também de infraestrutura.

Assim, quando manter equipes internas se torna caro ou inadequado às características da empresa, pode-se partir para a alocação de recursos de terceiros para conduzir as atividades de TI.

Nessa perspectiva, pode-se trazer para dentro da empresa mão de obra de alto nível de competência, de forma permanente ou para suprir necessidades esporádicas.

Com esse recurso, são reduzidos custos relativos à seleção de pessoal, a encargos trabalhistas e à preparação de espaço físico para acomodação de pessoas.

Outro caminho que vem crescendo no meio empresarial é o do home office. Esse formato desonera a empresa da manutenção de ambientes propícios ao trabalho e também da aquisição e atualização de equipamentos e hardwares utilizados nas atividades cotidianas.

Esses novos cenários só são possíveis graças ao advento da cloud computing, que veio para reduzir custos ao permitir o compartilhamento de infraestrutura, de inteligências em plataformas online e do acesso seguro por parte da empresa e do profissional contratado para atuar física ou virtualmente em benefício do negócio.

Essas dicas podem ser úteis para a redução de custos de contratação de profissionais de TI para empresas de todos os ramos e portes. Compartilhe este post nas redes sociais e contribua para a disseminação deste conteúdo!

 

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This