Gestão de processos

Gestão de empresas: veja 5 dicas para aumentar a eficiência por meio da TI

Gestão de empresas veja 5 dicas para aumentar a eficiência por meio da ti
Escrito por Telium

“Aposte na automatização”, “dialogue com seus funcionários”, “pratique o outsourcing de TI”. Se você acha que essas serão algumas das dicas (genéricas) que você verá abaixo, enganou-se.

Para se destacar em uma era de extrema competitividade, em que o inovador do momento é o antiquário do minuto seguinte, é preciso ir além. Os insights que daremos abaixo visam dar a você, diretor ou gerente de TI, uma luz mais profunda (e específica) sobre fenômenos da tecnologia que começam a fazer parte dos processos internos na gestão de empresas estrangeiras, e que podem ser também utilizados pelas organizações nacionais para gerar maior eficácia operacional e eficiência de TI, elevar exponencialmente sua produtividade e, consequentemente, mudar seus resultados, com ou sem crise.

Saia na frente da concorrência adotando primeiro o que todos adotarão depois. Confira!

1. Aplicativos inteligentes na gestão de empresas modernas

Quer ser o agente de condução da sua empresa em direção à vanguarda? Que tal então começar a imergi-la na iminente “era pós-aplicativos”, da qual os chamados “assistentes virtuais pessoais” serão certamente um dos protagonistas? Ainda não ouviu falar sobre VPA?

A tecnologia portátil sempre buscou encontrar novas formas de fazer coisas antigas, desde que a simples transferência de contratos físicos para um PC era sinônimo de mobilidade. No entanto, o aprimoramento do uso de tecnologias como Big Data e Internet das Coisas (IoT) impulsionou o surgimento de conceitos ainda embrionários, mas que prometem redimensionar a forma com que cidadãos e empresas lidam com aplicativos. Os assistentes virtuais pessoais (VPAs) são filhos dessa evolução.

Segundo o Gartner, em 2019, 20% de todas as interações dos usuários com smartphones devem acontecer por meio de assistentes pessoais virtuais (VPAs). Os VPAs são aplicativos inteligentes, capazes de fazer diversas atividades que uma secretária realizaria todos os dias, como priorizar e-mails, organizar uma agenda ou substituir o preenchimento de um formulário (para processar uma fatura) por um simples comando de voz a um EVA (Exceptional Voice App) com a mensagem “pague”.

Imagine agora os efeitos do enxugamento de atividades manuais em sua empresa se ela possuísse uma tecnologia como essa. Dessa redução de tarefas decorrem aumento de produtividade, redução de custos com retrabalhos, diminuição de tempo de processos, eliminação de erros e, é claro, aumento de vantagem competitiva em relação aos concorrentes (que ainda sequer conhecem esses novos recursos). Tudo isso é eficiência de TI voltada às questões estratégicas da organização.

2. Implantação de sensores de localização no setor produtivo das empresas

A evolução aqui se refere a tecnologias como identificação por radiofrequência (RFID), localização via satélite etc. Só que com contornos “mais futuristas”. Não se trata somente do uso, mas, principalmente, como tudo isso será usado.

A microlocalização já está sendo implementada na gestão de empresas norte-americanas para aumentar a produtividade no setor produtivo. Como? Essa tecnologia, que também utiliza a Internet das Coisas (IoT) como base, é capaz de informar a uma chave de torque, por exemplo, qual parafuso está acoplado a um equipamento. A partir dessa interconexão de dispositivos, torna-se possível programar o ajuste de torque automaticamente, eliminando por completo as chances de erros humanos.

Esse nível de controle pode ser aplicado igualmente sobre todos os processos de qualquer empresa, liberando mão de obra, reduzindo custos, melhorando a qualidade da produção e aumentando a carga produtiva diária. Já ouviu falar na frase “faça o que ninguém fez e obtenha o que ninguém ainda obteve”? O raciocínio é perfeito para esse caso!

3. Combinação entre sensores e aplicativos portáteis para controle de estoques

Sensores para geração de ordens de trabalho podem ser utilizados em almoxarifados. O objetivo é disparar alertas a sistemas de gestão, informando-os, por exemplo, que um determinado item bateu perigosamente seus níveis de Estoque Mínimo.

Esses dados poderiam disparar no ERP, automaticamente, uma nova ordem de compra. Essa integração entre sensores e sistemas de gestão reduz ainda mais a necessidade de intervenção humana em diversos processos internos, o que permite que se concentre colaboradores em setores mais estratégicos da organização.

4. Uso da linguagem de máquina (machine learning) para interação com os clientes

Algumas empresas no Brasil já têm tentado implementar sistemas mais inteligentes para interagir com seus consumidores (SAC 2.0), de uma forma mais profunda do que um FAQ pode fazer e mais agradável e rápida do que uma central de atendimento é capaz de prover.

Quer um exemplo? Dê uma olhada na “Júlia”, o robô inserido no canto superior direito do site da companhia aérea LATAM que, por meio de algoritmos complexos e de linguagem de máquina, é capaz de fornecer respostas complexas e precisas a quaisquer questionamentos digitados em sua caixa de diálogo.

Esse investimento feito pela companhia aérea reduziu sensivelmente seus custos com contratação de empresas de contact center e elevou ao dobro o nível de satisfação de seus clientes com os canais de atendimento ao consumidor. Mais um exemplo prático de como aumentar a eficiência de TI e seu valor agregado aos negócios da empresa.

5. A migração para a nuvem como passo fundamental à modernização da TI da empresa

Perceba que a base de todas as tecnologias citadas acima são os serviços em Cloud Computing. Em um universo em que os dados são para o mundo de hoje como o petróleo era no século XIX, não faz mais sentido trabalhar com infraestrutura física, que exige investimentos constantes com licenças, datacenters, suporte, sistemas de refrigeração, locação de espaço para acomodação de servidores físicos etc.

Para comprovar essa afirmação, basta lembrar que um estudo recente, feito com 670 profissionais de TI de 10 países, mostrou que as empresas de médio porte apresentam economia de mais de 25% nos custos quando utilizam sistemas em nuvem. Além da economia direta, a virtualização de servidores e de toda a infraestrutura de TI abre margem para inovações efetivas em sua empresa, como as citadas nesse post.

Os serviços de TI em sua organização ainda são apoiados em soluções “in house”? Vale a pena pensar em modernizá-la a partir de soluções mais modernas, como cloud servers, colocations, entre inúmeros outros serviços que podem levar a gestão de empresas e a eficiência de TI a um novo patamar no mercado!

Compartilhe nosso conteúdo nas redes sociais! E não esqueça de nos seguir para continuar acompanhando todas as últimas novidades em infraestrutura de TI, soluções em cloud e estratégias para elevar o retorno sobre o investimento da TI em sua empresa!

 

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This