Infraestrutura de TI

Qual o impacto do aumento da energia nos custos de servidores e data centers?

Escrito por Telium

Em novembro de 2017, as tarifas de energia elétrica tiveram um aumento de 42,8% na taxa extra (bandeira vermelha), que passou de R$ 3,50 para R$ 5,00 por cada 100 quilowatts-hora consumidos. Uma péssima notícia para as empresas que ainda mantêm servidores locais.

A novidade é especialmente inoportuna porque, nos últimos anos, eficiência energética no data center passou a ser um dos principais temas discutidos nas reuniões de CIOs e demais gestores ligados à área de infraestrutura de TI.

Com aspectos ambientais cada vez mais relevantes na manutenção da imagem das empresas no mercado, aumento crescente dos custos de energia e entendimento de que a maior parte das organizações não usa todo o potencial (escalabilidade) que justifique a capacidade instalada nos centros de processamento de dados, boa gestão de custos de servidores deixou de ser bônus para ser obrigação.

Hoje você vai perceber que despesa de energia no data center é um inimigo silencioso à competitividade empresarial, que precisa ser combatido com planejamento e adoção de soluções modernas de nuvem e outsourcing. Confira!

A pressão por atualizações constantes na infraestrutura de TI

Atualmente, os data centers possuem capacidade 4 vezes maior do que os primeiros centros de processamento de dados, mesmo ocupando apenas 40% da área dos antigos equipamentos.

Entretanto, o volume de informações trafegado no mundo de hoje é infinitamente superior ao de décadas atrás. Você sabia, por exemplo, que 90% dos dados mundiais foram criados nos últimos 2 anos?

Para você ter uma ideia do crescimento exponencial dessa pressão de processamento sobre os servidores, em 2012, “apenas” 2,8 ZB foram criados e replicados, segundo levantamento do IDC. O mesmo instituto estimava, à época, que até 2020 o volume de dados no universo digital chegaria a impressionantes 40 ZB (crescimento de 14 vezes em 12 anos).

O que isso tem a ver com os custos de servidores? Tudo!

É evidente que todas essas mudanças impactam a indústria de servidores, exigindo lançamentos sucessivos de novos equipamentos, mais poderosos, mais velozes, e em uma frequência de comercialização cada vez mais rápida.

Isso, por consequência, obriga as corporações a modernizarem sua infraestrutura em um ritmo difícil de ser acompanhado. Estamos falando em aumento de custos de servidores e elevação nas despesas de manutenção e energia.

Aliás, quando se fala em custos com data center, muita gente pensa apenas na refrigeração. Mas o consumo de energia elétrica de um centro de processamento de dados vai muito além disso. A conta de energia das organizações é impactada pela necessidade de:

  • manter os servidores ligados permanentemente;

  • garantir a iluminação das salas;

  • assegurar o pleno funcionamento dos equipamentos de controle de acesso (como dispositivos biométricos);

Além disso, quanto mais pesadas forem as atividades online realizadas diariamente, maior a capacidade exigida dos servidores; por consequência, maior o aquecimento dos equipamentos e, portanto, maior o consumo de energia para manter a temperatura equilibrada nas salas.

Como as novas aplicações são cada vez mais pesadas e o volume de informações trafegadas é crescente, as despesas com conta de luz nas organizações têm se tornado um problema crítico.

Mas o que fazer para minimizar esse impacto?

Soluções para reduzir custos com energia na manutenção da infraestrutura de TI

Colocation

Colocation é o nome que se dá a um data center independente, que entrega hospedagem compartilhada para que as empresas aloquem seus servidores. A vantagem desse modelo está no fato de que todas as despesas relacionadas ao espaço físico, controle de acesso, banda, conexão e, é claro, eletricidade, são compartilhadas com os outros clientes que utilizam o espaço.

Com isso, as empresas têm garantia de alta disponibilidade, monitoramento de incidentes 24 X 7 X 365, suporte, atualizações automáticas, além de diminuição de custos com energia elétrica (e redução de custos de servidores, de forma global).

Cloud Computing

A virtualização de servidores leva o outsourcing (terceirização especializada) a um grau ainda mais profundo do que o colocation. Se neste formato apenas as instalações eram independentes, nas soluções em Cloud Server a infraestrutura de hardware é também oferecida integralmente pelo provedor.

Ou seja, servidores, roteadores, switches, demais ativos de rede, além da própria infraestrutura física do data center e equipe de TI são gerenciadas por uma empresa com expertise no assunto. Isso gera maior disponibilidade, escalabilidade plena, muito mais segurança e redução de custos de servidores.

Isso sem falar que a empresa contrata apenas o que utilizará, sem que haja ociosidade de equipamentos, problemas comuns a quem ainda trabalha com servidores locais.

Green IT

Trata-se de um conceito que não se choca com os dois anteriores apresentados, podendo ser, portanto, complementar a eles. Green IT consiste no desenvolvimento de iniciativas para reduzir o consumo de energia nas operações de TI, auxiliando no fortalecimento da reputação da empresa em matéria de responsabilidade ambiental e contribuindo para tornar a organização mais sustentável também do ponto de vista financeiro.

Essa estratégia passa pelo descarte adequado de equipamentos, reutilização de ativos, uso de energia limpa para refrigeração do data center, além do outsourcing parcial (colocation) ou total (soluções em nuvem). Tudo isso tem impacto poderoso na redução de despesas com servidores.

Custos com servidores: energia elétrica & data center

Os data centers são uma das estruturas de maior impacto energético no mundo, consumindo entre 10 e 50 vezes a energia (por andar) de um típico edifício comercial. Estima-se que, em conjunto, os data centers dos Estados Unidos respondam por cerca de 2% do total de energia elétrica utilizada no país, o que já sinaliza aos CIOs e CEOs que parte da lucratividade de sua organização pode estar sendo consumida por puro desperdício.

Quando não há um plano adequado de eficiência energética, esses custos podem representar até 44% do TCO de um data center. Com a redução dos níveis dos reservatórios e o volume de chuvas abaixo da média, a tendência é que haja ainda novos aumentos no custo da energia no próximo ano, o que exige, desde já, a formulação de estratégias inteligentes de sustentabilidade energética.

Você viu neste post que é possível reduzir sensivelmente os custos de servidores, desde que haja planejamento e implementação de novos modelos de fornecimento de soluções de TI.

Quer aprofundar-se ainda mais no tema? Então continue conosco, descobrindo agora como ter um data center terceirizado!

 

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This