Infraestrutura de TI

Sabe como inovar os serviços de rede na Indústria Telecom? Descubra!

Escrito por Telium

Você já ouviu falar em virtualização das funções de rede? Essa nova tecnologia, também conhecida como NFV, promete mudar a forma como a indústria Telecom atua. Nesse sentido, é fundamental saber como usá-la na sua empresa!

Um dos maiores problemas envolvendo o uso de tecnologia e a construção de uma boa infraestrutura de TI são os custos envolvidos nesse procedimento dentro da organização. Além de seu desenvolvimento, é necessário fazer manutenções e equipe, o que aumenta ainda mais esses valores.

O termo NFV foi criado com o objetivo de reduzir esses custos e melhorar a forma como a indústria atua — atendendo às constantes exigências do mercado em relação à velocidade e capacidade de atendimento. Apesar de estar em desenvolvimento é importante entender como a tecnologia afeta as demais organizações no setor.

Pensando nisso, elencamos neste artigo as principais informações sobre o que é a NFV, como ela tem sido usada e seus benefícios para as empresas do setor. Confira!

O que é a NFV?

NFV é a sigla usada para representar o termo Network Functions Virtualization, ou virtualização de funções de rede — em tradução literal para o português. Dessa forma, a NFV nada mais é do que a prática de virtualizar funções realizadas por equipamentos de rede, como hardwares dedicados nas empresas, substituindo-os por dispositivos baseados em softwares, chamados de virtual machines (máquinas virtuais ou VMs).

Esse conceito foi criado por um conjunto de operadoras da Indústria Telecom com o objetivo de acelerar a adoção de novas tecnologias nesse meio, reduzindo custos, aumentando a flexibilidade da operação e melhorando os resultados de seus negócios.

Nesse sentido, serviços como NAT, IPS, firewall, caching e DNS serão acelerados dentro das organizações, melhorando a forma como as empresas atuam. A NFV está em constante desenvolvimento, já foi adotada por grandes empresas do mercado e deve ser observada de perto por todos os membros desse setor.

Qual a diferença entre NFV e SDN?

Um erro comum ao conhecer o termo NFV é confundi-lo com SDN (Software Defined Networks) ou Redes definidas por Software — em português. Essas funções são complementares, e juntas podem criar um ambiente de rede mais centralizado no cliente, usando recursos de automação.

Diferente da NFV, o objetivo da SDN é proporcionar uma estrutura de TI mais ágil e eficiente, usando diferentes tipos de tecnologia, como a virtualização, rede overlay e orquestração. Dessa forma, elas se tornam complementares para atender às necessidades de um mercado cada vez mais exigente.

Mesmo relacionadas, elas não dependem uma da outra, podendo ser implementadas de forma independente dentro das organizações. Entretanto, usá-las em conjunto é mais atrativo, uma vez que as mudanças são maiores, assim como os benefícios gerados.

Como a NFV é usada nas empresas?

Como falamos, diversas empresas já estão desenvolvendo soluções NFV para seus negócios ou então para o mercado, com o intuito de ganhar espaço nesse meio. Destacamos abaixo alguns exemplos para você entender como a virtualização de serviços de rede está sendo desenvolvida.

RAD

A RAD, uma das maiores empresas de tecnologia de acesso para operadoras de Telecom e redes empresariais, investiu mais de 30 milhões de dólares na criação de um centro de pesquisa e desenvolvimento focado em soluções de SDN e NFV. O foco do projeto está na garantia da segurança da rede e em como essas soluções combinadas podem oferecer um ambiente mais eficiente para as demais organizações do mercado.

HP

A HP, outro nome de peso da tecnologia no mundo, começou a investir tanto em SDN como em NFV em 2015, quando adquiriu uma empresa focada no desenvolvimento dessas tecnologias chamada ConteXtreme. A ideia é apostar num segmento que tende a se consolidar no mercado e estar preparado para o futuro, oferecendo mais benefícios para seus clientes.

PromonLogicalis

A empresa global PromonLogicalis, reconhecida pelo trabalho na promoção de soluções e serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC) é outro exemplo de organização que já está investindo em NFV e SDN. Em 2017, a empresa investiu mais nessa área, focando na aceleração do desenvolvimento desse ecossistema.

Quais os benefícios de adotar a NFV?

Redução de custos

O desenvolvimento da NFV em empresas permite a redução de custos em infraestrutura e também em manutenção. Uma vez que os dispositivos de rede dedicados são substituídos por equipamentos virtuais, não há necessidade de supervisionamento do Data Center, o que reduz despesas de capital (CaPex) e operacionais (OPex).

A tendência é que, com a maior disseminação e investimento em soluções de virtualização de serviços de rede, o custo dessa prática também seja reduzido, permitindo que empresas menores a adotem, assim como as maiores.

Maior flexibilidade

Outro benefício da NFV é a maior flexibilidade para atender demandas de serviço de rede, tornando essa prática mais ágil e eficiente nas empresas. Nesse novo cenário, quando uma aplicação é executada numa máquina virtual e necessita de mais banda larga, é possível transferi-la para outra VM com maior capacidade de forma automática, sem a necessidade de alterações na infraestrutura.

Maior produtividade

Normalmente, ao adotar novas tecnologias e melhorar os processos internos de uma organização, o resultado é maior produtividade e aproveitamento da capacidade dos profissionais do time, principalmente na área de TI. Nesse caso, com menos infraestrutura física para monitorar e maior automação dos processos, o time ganha tempo para focar em outras necessidades do negócio.

Novas oportunidades

Por fim, o investimento em soluções NFV cria a possibilidade do lançamento de novos produtos pelas companhias da indústria, fornecendo essas mudanças que trazem mais benefícios para a infraestrutura das organizações.

Além disso, a virtualização de serviços de rede aumenta sua escalabilidade, possibilidade personalização da rede e facilita a realização de upgrades. Dessa forma, as empresas podem atender às constantes exigências do mercado em relação aos serviços oferecidos no setor.

Fica evidente que a virtualização de serviços de rede é uma prática que promete muitos benefícios para as empresas, e a tendência é que todas as organizações a adotem como parte de seu planejamento estratégico. Portanto, é fundamental acompanhar sua evolução e identificar o momento certo para investir nessa prática na empresa.

E se você gostou de conhecer mais sobre a NFV e saber como ela está transformando a indústria, não deixe de nos seguir nas redes sociais e receber mais conteúdo como esse direto no seu feed. Estamos no Facebook e LinkedIn!

 

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This