Segurança da Informação

Atua no setor financeiro? Adote a nuvem privada e proteja os dados da sua empresa!

Escrito por Telium

A cloud computing já se tornou realidade e necessidade dentro de qualquer empresa no mundo — de todos os ramos, de todos os tamanhos. Porém, é no setor financeiro que essa tecnologia está causando impactos ainda mais profundos.

Se você trabalha como gestor de TI nessa área e entende como a transformação digital está se tornando questão de competitividade, é hora de passar à frente da concorrência. Neste post, vamos apresentá-lo à nuvem privada, mostrar sua relação com a segurança de dados e por que investir nesse modelo pode ser a resposta que você buscava. Confira!

O que uma nuvem privada significa para o setor financeiro

Quando pesquisamos mais a fundo sobre o movimento de transformação digital em todo o mercado, fica claro que a adoção de tecnologia em processos operacionais e de gestão não se trata mais de um luxo ou uma busca por diferenciação — é uma necessidade de sobrevivência.

No centro dessa mudança está a cloud computing. A nuvem se tornou o meio mais eficiente para adquirir a performance e a flexibilidade no uso de dados que permitem a qualquer empresa abraçar nichos específicos, ajustar-se à demanda do seu público ou encontrar novas oportunidades para modelos de negócio.

Contudo, para o setor financeiro, a simples adoção da nuvem pode não ser suficiente. Nesse caso, a transformação digital está criando uma competição cada vez mais acirrada, com novas startups e fintechs surgindo a todo momento. O que define quais dessas vão se consolidar no mercado?

A resposta está na confiabilidade e na velocidade com que um negócio no setor financeiro consegue utilizar a tecnologia para oferecer serviços aos seus clientes — seja por meio de aplicativos, plataformas como serviço ou uma gestão simplificada de ativos.

É por isso que muitas dessas empresas no ramo estão deixando de lado a estrutura mais comum da cloud pública para investir em nuvem privada. Nesse modelo, em vez de compartilhar recursos com outros clientes, a infraestrutura da nuvem é montada e gerenciada exclusivamente para quem contrata o serviço — seja ela on-premises ou fornecida pelo provedor.

Quando analisada isolando a tecnologia de um modelo de negócio, a nuvem privada parece apenas um extra que exige um investimento e uma dedicação maior do gerente de TI. Contudo, quando inserimos essa discussão no setor financeiro, falamos em privacidade, segurança, escalabilidade e disponibilidade para o público. A simples inclusão dessas vantagens em uma organização é um extra que faz toda a diferença.

A segurança da informação como vantagem competitiva

Quando pensamos na importância da segurança da informação como determinante para o sucesso de um negócio, não existe um setor em que essa relação é mais evidente do que em fintechs, escritórios de contabilidade e instituições financeiras.

O grande dilema desse tipo de negócio é criar um equilíbrio entre praticidade e segurança. Seu serviço precisa ser dinâmico, com experiência e performance melhores do que a concorrência, mas, ao mesmo tempo, bem protegidos de ameaças externas.

Um exemplo dessas ameaças está nos ataques rasonmware, que vêm crescendo em frequência e potencial de estrago. Nesse tipo de ataque, o criminoso consegue acesso ao banco de dados, encripta todas as informações armazenadas e exige dinheiro em troca da chave para desencriptá-los.

Para muitas empresas, o comprometimento desses dados e a incapacidade de acessá-los pode significar atrasos em prazos de entrega, indisponibilidade para os clientes e uma mancha na imagem de confiança da marca. No caso das companhias do setor financeiro, que lidam com informações e transações tão críticas, isso pode significar o fim do negócio.

Portanto, a segurança se torna uma forma de se destacar no mercado, e a nuvem privada é o investimento mais adequado para ganhar essa vantagem. Nesse método, a infraestrutura é montada em volta do seu modelo de negócio, com as preocupações de segurança e backup que fazem sentido para a proteção desse tipo de dado financeiro.

Isso porque, ao contratar uma nuvem privada, você está contratando um serviço exclusivo para o gerenciamento da cloud. Além de todas as vantagens que ela traz para um negócio, o parceiro especializado focará na suas demandas e necessidades, para gerir riscos, mitigar ataques e garantir a privacidade de dados. Com todo esse suporte, a empresa tem muito mais fôlego para crescer no mercado.

Outras vantagens que a nuvem privada traz para o setor financeiro

Além da segurança, ainda existem outros benefícios que a nuvem privada pode trazer para um negócio no setor financeiro. Então, vamos terminar este post dando mais alguns argumentos para convencê-lo que essa é a melhor opção.

Escalabilidade

Uma concepção muitas vezes equivocada de profissionais de TI é que a nuvem privada funciona como uma estrutura interna. Mesmo que esteja instalada on-premises, ela traz consigo todas as vantagens da cloud computing.

A mais conhecida delas é a escalabilidade. Trabalhar com IaaS significa ter sempre recursos que se adaptam à sua demanda, sem precisar aumentar o investimento em hardware ou a carga de trabalho da equipe tecnológica.

Isso significa atender mil pessoas ou cem mil com pouca mudança nos seus processos. Não é apenas um ganho de produtividade para hoje, mas uma garantia de viabilidade de negócio no futuro.

Personalização

E falando em atender às suas demandas, a própria infraestrutura e o sistema utilizados podem ser escolhidos exclusivamente para cada cliente da nuvem privada. A vantagem dessa personalização é montar a gestão e a operação do negócio exatamente como você e os diretores imaginaram ser o modelo ideal para se consolidar no mercado. 

Não se trata apenas de recursos de armazenamento, computação e rotinas de segurança: com a nuvem privada você pode decidir quais softwares são mais adequados para a produtividade dos colaboradores, qual sistema de gestão se encaixa melhor no gerenciamento dos dados de uma empresa no setor financeiro e como os indicadores de performance serão coletados.

Performance

Além da segurança adquirida por um sistema personalizado e suporte exclusivo para a sua empresa, a nuvem privada pode trazer ganhos em performance — já que aqueles servidores e recursos não são compartilhados com outros clientes.

Mais performance significa atendimento mais rápido ao público, uma experiência do usuário mais satisfatória e uma capacidade maior de se ajustar a novas demandas e novos nichos. Quando falamos em tecnologia, velocidade significa qualidade e segurança — e as duas coisas juntas colocam qualquer empresa à frente da concorrência.

Business Intelligence

Quando se discute cloud computing, é comum que muitos profissionais de TI fiquem muito presos aos ganhos técnicos e se esqueçam o que essa migração pode significar de mais profundo para um negócio.

No caso da nuvem privada, estamos falando de ter mais segurança e liberdade para utilizar dados tão sensíveis como fontes de novas estratégias. O uso de informações geradas por Big Data para entender e prever o mercado está dentro do conceito de Business Intelligence — quando os decisores da empresa se apoiam nesses ativos para gerirem a organização.

Esse tipo de uso para a tecnologia aplicada será cada vez mais comum e necessário para empresas no setor financeiro. Ter a vantagem de acesso fácil, rápido e seguro a um volume tão grande de valores é um dos principais argumentos a favor desse modelo de cloud.

Gestão baseada em dados, performance, personalização e, acima de tudo, segurança. Esses são os pontos que tornam a nuvem privada um investimento certeiro e importantíssimo para gestores de TI inseridos no ramo financeiro. Agora que você entende essa relação, converse com sua equipe, os diretores e comece hoje mesmo a planejar a sua migração!

E aí, gostou de conhecer um pouco mais sobre nuvem privada? Se você quer se manter informado sobre mais novidades tecnológicas aplicadas aos negócios, assine a nossa newsletter!

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This