Infraestrutura de TI

Dimensionamento das redes Wi-Fi corporativa: tenha o melhor!

Escrito por Telium

Seja para uso da internet, seja integração de rede local, as redes de Wi-Fi corporativas são fontes de produtividade e oportunidades de negócio em um novo mercado digital.

Mas existe uma fórmula para adotar essa tecnologia? Queremos nos aprofundar no assunto para que você entenda a importância de dimensionar a sua rede e criar estratégias que unam planejamento e implementação em soluções tecnológicas realmente eficientes. Confira!

O que é e como funciona o Wi-Fi corporativo?

Essa é uma pergunta que a princípio pode parecer óbvia demais para um profissional de TI, mas você pode se surpreender com quantos de seus colegas de profissão confundem esse tipo de conceito.

A principal questão é que, na hora de montar uma estrutura de Wi-Fi dentro da empresa, muitos tratam o processo como fariam com um Wi-Fi doméstico, ou simplesmente mapeiam a implantação baseados apenas nas especificações técnicas e características físicas do local.

A verdade é que a rede corporativa exige uma atenção especial para que ela cumpra seu principal objetivo: permitir mais produtividade, eficiência e otimização no trabalho e na entrega do negócio.

Pensando por esse lado, o Wi-Fi corporativo é mais do que um conjunto de roteadores, é um planejamento e monitoramento constante para distribuir a rede de forma hierarquizada e lógica — focando em áreas prioritárias e dimensionando essa oferta de acordo.

Ou seja, essa é uma questão de sucesso de negócio. Um Wi-Fi bem dimensionado pode melhorar a produtividade e a integração entre departamentos, facilitar a correção de problemas e iteração sobre processos produtivos e até melhorar a experiência do usuário no caso de varejos físicos ou ambientes virtuais.

Como melhorar o dimensionamento e diminuir falhas na cobertura?

Uma boa rede de Wi-Fi corporativa é baseada em 3 aspectos que merecem sua atenção. Veja quais são e o que fazer no caso de cada um deles para melhorar o desempenho e o alcance da sua rede:

Performance adequada

Cada negócio exige algo diferente de suas redes externa e interna. Pode ser velocidade, estabilidade, escalabilidade, elasticidade ou todos eles.

O que você precisa primeiro é definir a intensidade da performance e da banda que precisa. Isso será possível medindo sua necessidade de recursos na rotina e para projetos futuros.

Quantos dispositivos estão conectados à rede com frequência? Para quais usos ela é necessária? Você precisa dividir recursos entre operação interna e entrega externa? A rede recebe visitantes (parceiros e/ou clientes)?

Essas são perguntas interessantes para começar sua investigação. Muitas vezes, por exemplo, a escolha por um link dedicado pode trazer a performance e estabilidade que facilite a reformulação da rede. Definindo todos esses pontos, fica muito mais fácil fazer o dimensionamento.

Cobertura necessária

É interessante também mapear o uso da rede e que pontos dentro do seu espaço físico precisam de um foco especial. Geralmente, essa parte do dimensionamento pode ser abordada de duas formas:

  • a primeira é o mapeamento e redesenho da estrutura de Wi-Fi, como o posicionamento de máquinas e roteadores;
  • a segunda é a necessidade de investimento em novos dispositivos, adequando seu uso ao tamanho e a necessidade do espaço.

Segurança de dados

Não dá para pensar no dimensionamento de redes Wi-Fi corporativas sem levar em conta a segurança. Mesmo com todo o controle que você tem sobre seu sistema, terminais e intermediários são sempre suscetíveis ao comprometimento de informações sensíveis de negócio.

Portanto, é bom pensar no posicionamento físico e na configuração lógica para minimizar o acesso não autorizado ao sistema. Se não for possível cobrir todas as brechas, pelo menos ter mecanismos e ferramentas para identificar e lidar rapidamente com a situação.

Qual a importância do planejamento, projeto e aferição via software?

Falando no assunto, podemos entrar mais a fundo na importância de planejamento, organização e utilização de softwares para a gestão de redes seguras e de alta performance.

A ideia para uma Wi-Fi de qualidade é centralizar seu controle. É ter um ambiente único para coletar e analisar dados de uso e desempenho, de oferta e retorno para definir como iterar sobre seu dimensionamento em que é preciso dar mais atenção com investimentos e ações pontuais.

Montar uma rede eficiente é responsabilidade da TI e precisa ser tratada como um projeto especial e exclusivo, que inclua:

  • mapeamento físico dos pontos de acesso e de transmissão;
  • decisão por tipos de equipamento e frequências mais adequadas para cada espaço;
  • medição de sinal em busca de possíveis interferências e pontos cegos;
  • acompanhamento da rede com a definição de indicadores de performance, que permitam definir se as ações colocadas em prática tiveram ou não o resultado esperado.

Tudo isso faz parte do seu gerenciamento e é muito mais simples quando integrado a sistemas de gestões e, se possível, parcerias com empresas especializadas em entrega e dimensionamento de redes.

Quais exemplos existem de inovações e soluções possibilitadas por redes de Wi-Fi corporativas?

Depois de discutirmos tanto sobre o dimensionamento de Wi-Fi corporativo, fica apenas uma questão: o que fazer para aproveitar esse recurso?

A verdade é que a integração de sistemas por redes sem fio está transformando empresas de todos os setores, tanto para seu próprio desenvolvimento quanto para atender melhor seus clientes. Veja alguns exemplos de como isso está acontecendo:

Aumento de produtividade

Essa é a utilidade mais óbvia e consolidada de Wi-Fi corporativo. Ter toda a empresa conectada ao mesmo sistema aumenta a integração e colaboração entre departamentos e permite uma padronização de relatórios e dados que dão uma visão mais ampla de como o negócio funciona.

Usar essas informações como estratégia pode tornar a empresa mais produtiva, mais eficiente e otimizada. Também é uma porta para automação de tarefas que incluam de vez a inteligência de dados no dia a dia de vocês.

Logística

Principalmente para e-commerces, mas também varejos físicos que trabalham com estoques maiores, a rede Wi-Fi se torna uma possibilitadora de novas soluções de logística.

Nesse caso é possível ter uma integração melhor entre vendas e estoque, agilizando a preparação de pedidos ao informar imediatamente quais produtos devem ser retirados.

Tecnologia nas prateleiras

Outro exemplo do varejo é como o uso dessa rede pode acabar com o trabalho exaustivo, demorado e repetitivo de etiquetagem nas gôndolas.

Com o investimento em etiquetas inteligentes e a configuração da rede utilizando um software de gestão, é possível atualizar automaticamente os preços em todas as prateleiras com poucos comandos.

Mas, para isso, a rede Wi-Fi tem que ser muito bem dimensionada, principalmente em grandes varejos que ocupam áreas extensas com muitas alas diferentes.

Clientes engajados

Esses são alguns exemplos de como a rede Wi-Fi pode facilitar a operação de uma empresa e sua relação com seus clientes, é apenas o começo de muitas oportunidades.

Em alguns negócios, o Wi-Fi é utilizado em terminais interativos e até em conexão com os dispositivos dos consumidores para criar experiências únicas e impactantes. A ideia é que esses clientes fiquem mais tempo na loja e gastem mais.

Ou seja, as redes de Wi-Fi corporativas são uma solução com ganhos nos dois lados: para otimizar e aumentar a produtividade em escritórios e para possibilitar novas interações relevantes com seu público.

Tudo que você precisa é de um planejamento especial de dimensionamento, o apoio tecnológico necessário e muita disposição para influenciar no sucesso da sua empresa.

E sabia que a performance de redes de Wi-Fi corporativas pode ser potencializada com o uso de nuvem? Leia agora nosso e-book e prepare-se para migrar!

Sobre o autor

Telium

Deixar comentário.

Share This